FMI diz que São Tomé e Príncipe está em risco de endividamento

Vitrina 28 set - O Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou esta quarta-feira que São Tomé e Príncipe está em risco de endividamento e que por isso vai controlar de forma mais rigorosa as suas despesas.

 “São Tomé é um país que está em risco de endividamento e é necessário que a despesa seja bastante controlada. O FMI está controlando a divida e ao mesmo tempo promovendo o crescimento, é necessário que a despesa seja bastante controlada”, disse o Maxwell Opoku-Afari, chefe da missão do FMI para São Tomé e Príncipe.

O responsável do Fundo Monetário Internacional que terminou hoje uma missão de 15 ao país disse que o défice primário interno do arquipélago “aumentou uma vez que a despesa se situou acima da receita”, tendo provocado uma derrapagem financeira.

Sublinhou que, por causa disso, foi recomendada ao governo são-tomense “políticas corretivas para corrigir esta situação de derrapagem”.

O executivo de Patrice Trovoada que no ano passado contraiu uma divida de 30 milhões de dólares a uma empresa chinesa justifica que precisa contrair dívidas para promover o investimento interno.

Se o governo necessita de financiamento para investimento o FMI aconselha o executivo a aumentar a receita tributária, “mobilizando mais fundos a nível interno ou recorrer a “apoios concessionais” que não criam mais divida.

 “Isso pode ser feito com taxas de juro praticamente inexistente ou muitíssimo baixa”, explicou Maxwell Opoku-Afari , defendendo também que o governo pode promover investimento através de parcerias público-privadas. M. Barros

Voltar 

 

 

 

 

"Vitrina", Propriedade da PRESSCO, Lda., Sociedade de Prestação de Serviço nas Áreas da Comunicação Social - Contribuinte nº

199150 - S. Marçal - S.Tomé - RDSTP,  Cx. Postal  628 - Telm: +239 990 33 30

diariovitrina@hotmail.com  / Webmaster HSA