Governo marroquino quer “contribuição” da Argélia na solução

do problema de Sara Ocidental

Vitrina 07 set - O ministro marroquino do Interior, Charki Braiss apelou as Nações Unidas a instar a Argélia para “contribuir numa solução” para a resolução do problema do Sara Ocidental.

 “Desejamos que a ONU que tem esse problema nas mãos, possa convencer esse país (Argélia) a dar uma contribuição para que encontremos uma solução para esse problema”, disse Charki Braiss num encontro com cerca de 55 jornalistas africanos que efetuam uma visita a Marrocos.

As autoridades marroquinas reivindicam o Sara Ocidental como parte do seu território, mas reconhece que essa opinião não colhe consenso entre os países africanos e mesmo a nível das Nações Unidas.

“O problema de Sara que as pessoas chamam ocidental e que chamamos marroquino é um problema que se arrasta há 40 anos e que envenena um pouco a situação em África. É um problema que existe”.

“Se recorrermos a história, verá que o Marrocos foi colonizado por dois países, mas conseguimos recuperar o nosso território progressivamente e nunca abandonamos esse território (Sara Ocidental).

O governante marroquino explica que o seu governo “tem feito todo o esforço” junto da comunidade internacional para encontrar uma solução para a questão, acusando, sem mencionar nome a vizinha Argélia de querer “perdurar” o problema.

“Já realizamos várias iniciativas para resolver esse problema e a primeira mobilizou o sentimento de toda a comunidade internacional que envolveu, inclusive, as Nações Unidas que julgaram essa iniciativa realista, credível e realizável”, disse.

“Apesar de tudo, toda a disposição de Marrocos para resolver esse problema encontra dificuldade de outra parte (Argélia) que procura perdurar esse problema. Trata-se de um determinado país que apoia a Frente Polisário (braço armado do povo sarauí) que se encontra no território argelino e que atualmente tem 40 a 50 mil reféns marroquinos em seu poder”, acrescentou.

Num outro encontro separado, também com jornalistas africanos o diretor do Centro de Investigação judiciária (BCIJ), Abdelhak EL KHAYAM, garantiu que “Sara Ocidental é território Marroquino, posso provar” e acusou a Frente Polisário de “recrutar terroristas para ações em território marroquino”.

Exibiu imagens tiradas via satélite de alegados “treinamentos de terroristas” da Frente Polisário em território argelino.

A visita dos 55 jornalistas proveniente de 25 países africanos enquadra-se no âmbito da 22ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança Climática, denominada COP 22 que será realizada em Marraquexe de 7 a 18 de Novembro, com um foco em África.

A conferência deste ano tem como objectivo contribuir para a implementação do Acordo de Paris, através do reforço de mobilização de todos os intervenientes. M. Barros

Voltar 

 

 

 

 

"Vitrina", Propriedade da PRESSCO, Lda., Sociedade de Prestação de Serviço nas Áreas da Comunicação Social - Contribuinte nº

199150 - S. Marçal - S.Tomé - RDSTP,  Cx. Postal  628 - Telm: +239 990 33 30

diariovitrina@hotmail.com  / Webmaster HSA